Imprensa

MEIA INTERNACIONAL DE RIBEIRÃO – Giovani dos Santos e Viola Jelegat vencem

O brasileiro Giovani dos Santos e a queniana Vio­la Jelegat foram os grandes vencedores da Meia Marato­na Internacional de Ribeirão Preto (MMIRP), realizada na manhã do último domingo, dia 27, com largada e chegada no RibeirãoShopping. A pro­va reuniu atletas inscritos de 169 cidades, 14 estados bra­sileiros, mais Distrito Fede­ral. Representantes de cinco países correram pelas ruas da Zona Sul do munícipio.

Giovani fez os 21.097,5 metros em 1h07m30s. Ele dominou a prova de ponta a ponta. No feminino, Viola Jelegat, do Quênia, disputou o primeiro lugar metro a me­tro com a ugandense Emily Chebet. Viola cruzou a linha de chegada com o tempo de 1h16m24s, dez segundos à frente de Chebet. No domin­go anterior a queniana havia vencido a Meia Maratona In­ternacional do Rio de Janeiro.

Confira o resultado em https://www.chiptiming.com.br/resultados/meiama­ratonaintl/tribuna.

A MMIRP distribuiu R$ 41.200,00 aos primeiros co­locados dos 21 km, nas cate­gorias Elite (dez primeiros) e Amador (cinco primeiros), masculino e feminino. Os 21.097,5 metros foram afe­ridos oficialmente e a prova recebeu a chancela de Fede­ração Paulista de Atletismo (FPA), Confederação Brasi­leira de Atletismo (CBAt) e World Athletics.

 

Festa nas ruas
Mais de 2.400 corredores participaram da Meia Inter­nacional de Ribeirão. A gran­de maioria optou pela distân­cia de 21k. Também houve corridas de 10km e 5km.

Além dos brasileiros, foram inscritos atletas de Uganda, Quênia e Angola, na elite. Também foi registrada a presença de uma atleta da cidade de Siricusa, na Itália, entre os amadores.

Com relação aos estados, eles foram representados por atletas de São Paulo, Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Goi­ás, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Paraíba, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte e Rio Gran­de, além do Distrito Federal.

A Meia Maratona Interna­cional de Ribeirão Preto está, por lei, nos calendários de eventos esportivos da cidade (Lei 12.686, de 27 de outubro de 2011, de autoria do vereador José Carlos de Oliveira) e do estado de São Paulo (Lei 15.894, de 17 de se­tembro de 2015, de autoria do deputado Baleia Rossi).

A prova também faz parte do calendário de eventos em comemoração ao aniversário da Associação Comercial e Industrial de Ribeirão Preto (Acirp) – 119 anos – e reúne patrocinadores tradicionais e de peso, como o RibeirãoSho­pping, GS Inima Brasil, Raí­zen, Rede Ideal, Savoy Leilões e Necta. E conta com uma grande rede de apoio logísti­co e parceiros de mídia como TV Record, Vivace Outdo­or, rádio Diário FM, gráfica New Cores, Fonte Assessoria de Imprensa e o Convention & Visitors Bureau, entidade presente em 111 cidades bra­sileiras. Além disso, tem apoio logístico da Polícia Militar, Guarda Civil Metropolitana, RP Mobi, Secretaria de Espor­tes, Estre e KA2RP Eventos.

Meia finalizada e pedido de casamento

Quando a corredora Flá­via de Oliveira Esperança, da cidade de Birigui, largou para correr sua primeira meia ma­ratona, no último domingo, na Meia Internacional de Ribeirão, ela tinha certeza de que seria um momento especial em sua vida, afinal completar os 21.097,5 metros pela primeira vez é marcante na vida de qualquer corredor. O que Flávia não sabia é que um turbilhão de emoção lhe aguardava após a linha de chegada. Além de ser recebi­da nos braços do namorado, Natan Tozzoni, o tão aguar­dado pedido de casamento lhe foi feito. Claro, a resposta foi sim.

O pedido de casamento e correr uma meia maratona estavam programados para outras datas. Mas uma série de fatores impediram ambos.

FOTOS: WANDERSON TILLMANN E ARQUIVO PESSOAL

Natan que é treinador, co­nheceu Flávia em uma asses­soria de corrida na qual ele trabalha. “Ela não corria nem 500 metros, há dois anos, mas foi treinando e evoluin­do muito. E nós fomos nos aproximando”, conta o pro­fessor.

“A corrida nos uniu mes­mo. Mas a gente não tinha um relacionamento oficial. O pedido de namoro demo­rou um ano pra acontecer. A gente ficava, mas ele demo­rou para oficializar”, brinca Flávia.

Pedido adiado
Já namorando, o casal fa­zia planos de casamento. “Ele treina triathlon. E disse que iria fazer o pedido quando terminasse a prova de 70.3 (meio ironman), em Floripa, mas a treinadora dele tirou esse plano, porque ele estava treinando para provas mais curtas”, conta.

Com isso, o esperado pe­dido de casamento foi adiado.

Meia adiada
Se o pedido foi adiado por conta da não realização da prova de triathlon, outro desejo aguardado por Flávia, o de correr uma meia mara­tona, também teve que ser. Ela se preparou para correr uma prova no Rio de Janeiro, mas por conta de problemas de voo e reservas de uma pla­taforma de turismo, a viagem foi cancelada.

Flávia então viu que pode­ria correr em Ribeirão Preto. Teve dois meses a mais de treino. “Pra mim foi um desa­fio, porque eu sabia que a pro­va seria desafiadora”. Além dela, outros 17 integrantes da assessoria de corrida que ela participa também vieram. E claro, o namorado treinador.

“Ela se preparou mui­to. Estava muito focada. Era uma coisa que ela queria muito. Então pensei em fazer a surpresa pra ela. Porque se em Florianópolis o momento seria especial pra mim, em Ribeirão Preto seria único na vida dela. Ninguém sabia, era surpresa mesmo”, diz Natan.

O treinador disse que ao contar para os staffs, rece­beu apoio. “Então, eles fica­ram desconfiados. Eu sei que não pode ficar ali na disper­são, mas conversei primeiro com um rapaz e depois com uma senhora. Eles me de­ram apoio. Falaram para os fotógrafos. Nisso, o pessoal da assessoria também ficou sabendo e entraram para fil­mar”, ressalta.

“Quando fiz a curva para entrar na chegada eu o vi. Mas vi toda a galera. Vi os fotógrafos. Pensei que ti­nha algo diferente. Quando cruzei e ele me abraçou, foi mágico. Depois quando fez o pedido de casamento, foi inesquecível. Não poderia ter escolhido momento melhor”.

O casal faz planos: casa, móveis etc. Mas também quer voltar a correr a Meia Maratona Internacional de Ribeirão em 2024, juntos. Quem sabe, casados!

Superação! – Mais uma vez corredores PCDs demonstraram superação ao vencer obstáculos. Participaram atletas com deficiência visual, cadeirantes e a equipe Pernas Solidárias.

Maria Zeferina, a embaixadora da Meia

Durante os três dias de evento, a maior corredora da região, Maria Zeferina Baldaia, esbanjou carisma e simpatia. Embaixadora da pro­va, ela foi, mais uma vez, protagonista, mesmo sem correr.

“Maria tira uma foto!”. “Maria faz uma selfie comigo!”. Pedidos assim se repetiram às centenas. E a resposta, era sempre sim, com um largo sorrido estampado no rosto.

Mas teve choro também. Choro de emoção e alegria, ao reencontrar com o empresário Maurílio Biagi Filho, seu primeiro patrocinador e grande incentivador.

Como sempre, Maria Zeferina desfilou sua humildade, agradeceu o apoio e deixou aquele recado para todos: “nunca desistam dos seus sonhos”!

Casal abre faixa de revelação de sexo de bebê na reta de chegada
O bibliotecário Ciro Bar­ros Monteiro correu a Meia Maratona Internacional de Ribeirão Preto pensando na linha de chegada. Mas não com relação a tempo de pro­va ou classificação. O moti­vo era mais especial: saber o sexo do futuro bebê.

Ciro e a companheira Isabela Ferracini, a Isa, têm uma relação especial com a corrida. Ela é profissional de Educação Física e apresentou o “mundo das corridas” a ele. Por sua vez, Ciro ficou ‘vicia­do’ no esporte.

Grávidos, eles decidiram que iriam fazer a revelação do futuro filho na reta de che­gada. E foi o que aconteceu.

Ciro: “Me aproximei da chegada, a Isa entrou e aí abrimos a faixa, foi muito emocionante”

Com a presença de ami­gos e familiares, a faixa com o nome da criança, foi aberta na reta final da corrida. Mo­mento de emoção, pois ape­nas uma amiga de Isa sabia do sexo da criança e organi­zou a revelação.

Homenagens
Ambos os nomes eram homenagens. Se fosse me­nina, seria Marina, nome da avó de Isa. Mas era menino. Diogo, mesmo nome do ir­mão de Ciro, que faleceu em setembro do ano passado.

Ciro já havia feito home­nagens ao irmão quando cor­reu as maratonas de Manaus e Florianópolis, abrindo a fai­xa com o nome Diogo.

“Me aproximei da chega­da, a Isa entrou e aí abrimos a faixa, foi muito emocionan­te. Passaram muitas coisas na minha cabeça. Ressignifi­cando… saindo do luto… não sei te falar a dimensão dessa emoção. Foi um momento mágico”, diz emocionado o futuro papai.

“Não consigo dimensio­nar o tamanho dessa emoção. Sempre quis ser mãe de me­nino, sonhava em menino, pensava em nomes. Vi que era o Diogo, foi muito emo­cionante pra mim, pra ele pelo significado do nome. Não só por isso, mas por toda a energia. Foi muito especial”, completa Isa.

Pelas redes sociais, a his­tória ganhou o Brasil. “Rece­bo comentários e as pessoas se emocionam com a histó­ria. A repercussão foi muito grande. Saiu em rádios e site e redes sociais”, finaliza o cor­redor.

Expo foi uma das novidades
Uma das novidades deste ano da Meia Maratona Internacional de Ribeirão Preto foi a realização de dois dias de Expo, onde, além da retirada de kits, os corredores e convidados participaram do congresso técnico, palestras e bate papos com assuntos rela­cionados ao esporte.

Também foram expostos e comercializados produtos e ser­viços esportivos, em um amplo espaço de convivência.

FOTOS: MAX GALLÃO MESQUITA

Doação de alimentos
Durante a retirada de kit os corredores que doaram um quilo de alimento não perecí­vel ganharam um “chaveiro do Dino”, mascote oficial da Meia. Centenas de quilos de alimentos foram arrecadados e doados ao Fundo Social de Solidariedade de Ribeirão Preto.

A Expo aconteceu no hipermer­cado Alma Julia, na avenida João Fiúsa, 3.001.

Uma grande festa esportiva, social e de conscientização ambiental
A Meia Maratona Internacional de Ribeirão Preto (MMIRP) se con­solidou neste ano como uma das maiores corridas de rua do interior do Estado. Mas não foi só corrida de rua. O evento proporcionou diversas ações sociais e ambientais.

Ao final da corrida, os atletas ficaram na arena, montada no es­tacionamento do RibeirãoShopping, onde além das assessorias esportivas, algumas campanhas foram realizadas. Uma delas foi a de adoção de animais (cães e gatos). A ação contou com a participação da Coordenadoria de Bem-Estar Animal (CBEA), órgão vinculado à Secretaria Municipal do Meio Ambiente de Ribeirão Preto e também da Associação Vida Animal (AVA), a entidade privada mais antiga e importante em atuação na cidade.

FOTOS: MAX GALLÃO MESQUITA

 

 

As ações voltadas à sustentabilidade foram uma marca registrada da MMIRP. Em parceria com a empresa Estre, todo o lixo produzido pela prova (copinhos plásticos de água, sacolinhas, etc.) será reciclado e o dinheiro arrecadado será destinado a uma entidade assistencial.

Galeria da Meia Internacional de Ribeirão
FOTOS: JF PIMENTA, MAX GALLÃO E ALFREDO RISK

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo